fbpx

Atenção com a saúde dos idosos em época de isolamento social

Atenção com a saúde dos idosos em época de isolamento social

Atualmente o mundo tem aderido ao isolamento social por conta do novo coronavírus, doença que já infectou mais de 5 milhões de pessoas e consequentemente impactou a rotina dos idosos, um dos grupos de risco da doença. Com o estabelecimento da quarentena, muitos idosos encontram-se sedentários por estarem confinados em casa proporcionando assim o risco de desenvolverem doenças como osteoporose e a sarcopenia que são acometidas nas pessoas de idade mais avançada.

A falta de atividades físicas como simples caminhadas ao ar livre, pode agravar o quadro de osteoporose para quem já tem a doença, além disso, ficar muito tempo em casa também diminui a exposição à luz do sol, vitamina D, que é essencial para o fortalecimento do sistema imunológico no combate a viroses e para a prevenção e tratamento de doenças como a osteoporose e a sarcopenia.

A aposentada de 82 anos, Francisca Sampaio, conta que antes da quarentena, não costumava praticar muitas atividades físicas ao ar livre, mas estava sempre em movimento. “Eu ia à igreja três vezes na semana com minha amiga aqui da rua, ia ao supermercado, à padaria, à feira e recebia minha filha e minhas netas pra tomarmos café durante a tarde. Agora, estou trancada aqui em casa.”. Para a dona Francisca é difícil se habituar a nova rotina, mas ela tem tentado melhorar sua qualidade de vida mesmo durante o isolamento social. “tento pegar sol no quintal e procuro me alongar quando acordo. Principalmente o meu braço direito, que fraturei há uns 6 anos e ainda sinto um pouco de dor.”, falou.

Ivone Maria da Silva, de 67 anos, diz que o isolamento não é tão diferente da sua rotina antes da pandemia, porém, ela também está sentindo os impactos da quarentena por ter parado o tratamento médico que fazia por causa de dores na coluna. “Interrompi meu tratamento da coluna porque não posso sair de casa, não posso ir ao médico e fazer exames.”, relatou. Além disso, dona Ivone, se esforça para se manter saudável no momento. “Tomo sol e faço exercícios, mas não com tanta frequência.”.

É muito importante que mesmo durante a quarentena, os idosos saibam que não se deve ficar imóvel dentro de casa. A exemplo da dona Francisca e dona Ivone, é possível buscar alternativas para manter a saúde em dias em meio a esse período tão complicado. Exercícios como caminhadas dentro do apartamento ou ao redor do quintal, alongamentos, exposição ao sol por pelo menos por 15 minutos e uma boa alimentação podem prevenir uma série de doenças, entre elas a osteoporose, que em média, acomete três a cada dez idosos, e a sarcopenia, que atinge aproximadamente 14% das pessoas com 60 anos ou mais.

Nesse momento, além de aderir hábitos que trazem mais qualidade de vida e fortalecem os músculos, os idosos precisam estar atentos a sintomas de dores no corpo causadas por quedas ou não. Nesses casos, procurar o médico ortopedista para obter um diagnóstico pode ser necessário para que não haja complicações mais graves no futuro. Os atendimentos médicos virtuais realizados por telemedicina também são uma ótima alternativa, pois sem sair de casa, é possível manter um acompanhamento com um especialista que vai auxiliar o idoso durante o período de isolamento, esclarecendo todas as dúvidas e dando as principais recomendações.

O Jornal do Médico® alerta a todos os idosos para maiores cuidados com a saúde durante a quarentena. Dessa maneira, é possível manter a saúde em dias e evitar o enfraquecimento dos ossos por mais que isso faça parte do processo natural do envelhecimento.

 

Confira mais conteúdo sobre o tema no Webinário do Jornal do Médico®️

Assine a Newsletter do Jornal do Médico®️ e receba conteúdos de qualidade e credibilidade

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend