fbpx
atendimento pré hospitalar na pandemia

Atendimento Pré-Hospitalar na pandemia

Diante da pandemia causada pelo novo coronavírus, o serviço pré-hospitalar precisou adotar muitas mudanças para se adaptar e principalmente lidar com inúmeros desafios impostos pela doença. Dessa forma, foi possível realizar um atendimento humanizado e eficaz que fizesse a diferença nesse momento tão complexo.

Segundo o Vice-presidente da COAPH, Dr. Valderi Souza Júnior, o atendimento pré-hospitalar tem tido um papel fundamental no combate a essa pandemia, e o foco principal da classe tem sido a proteção do indivíduo, seja o profissional ou o paciente. Com isso, é de extrema importância e não deve ser descartado em nenhum momento o uso de EPI’s (equipamentos de proteção individual), que exigem um certo treinamento para que seja feito o uso correto.

Fora isso, Dr. Valderi também destaca o funcionamento do SAMU durante a pandemia. “O nosso SAMU, serviço de atendimento móvel de urgência, é uma interface do público com o SUS, por via telefone, que está disponível 24h, por sete dias na semana de maneira gratuita, as pessoas tiveram um acesso direto, podendo tirar dúvidas ou solicitar o atendimento.”, explica. Além disso, o serviço pré-hospitalar também é responsável pelas transferências inter-hospitalares, que diante do grande aumento no número de atendimentos voltados a pacientes com casos graves de insuficiência ventilatória ou síndromes gripais, teve também um aumento exponencial dessas transferências.

Quanto aos maiores desafios que esses profissionais têm enfrentado, o Vice-presidente destaca principalmente o medo do vírus, já que essa é uma doença nova, que trouxe muitas dúvidas e questionamentos. “Além do medo de ficar contaminado, existe o medo de levar essa contaminação para os seus familiares. Por isso muitos desses profissionais decidiram não ficar em casa, mas sim em alojamentos e hotéis.”, explica o Dr. Valderi. Fora isso, também não podemos descartar os impactos psicológicos causados a esses profissionais, pois além de ser preciso se adaptar aos novos equipamentos de segurança, o que não é fácil, ver muitos pacientes perdendo a vida tem sido desafiador para muitos.

Mesmo diante de tantas dificuldades causadas ao sistema de saúde devido a COVID-19, Dr. Valderi diz que uma das melhores alternativas para enfrentar esse momento é estudar, discutir e tentar entender essa doença. Além disso, é preciso também, se proteger e agir conforme os protocolos, valorizando um apoio psicológico para que assim, esses profissionais possam ter estabilidade suficiente para continuar trabalhando.

 

Confira mais conteúdo no programa do Jornal do Médico®️ com o Saúde em Pauta

 

 

Assine a NewsLetter do Jornal do Médico®️ e receba conteúdos relevantes no seu E-mail

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend