fbpx

Hospital Geral Dr. César Cals realiza palestra sobre prevenção e tratamento do câncer de mama

O rosa toma conta do mês de outubro para chamar atenção sobre o câncer de mama. A campanha visa estimular a luta contra o câncer de mama e o diagnóstico precoce.  No Hospital Geral Dr. César Cals, do Governo do Ceará, um papo com especialistas busca estimular mulheres sobre a importância do cuidado em relação ao diagnóstico e ao tratamento. Com o tema “Prevenção e tratamento do câncer de mama”, o encontro, destinado a pacientes do hospital e funcionárias, será realizado na quinta-feira, 18, às 8h, no Auditório II do Centro de Estudos do HGCC, setor Ambulatorial.
A abertura do encontro será feita pelo mastologista, Antonio de Pádua Almeida Carneiro, diretor médico do HGCC. Ele diz que atualmente, o câncer de mama é um problema mundial de saúde publico e é o mais incidente em mulheres jovens no mundo, sendo a principal causa de mortalidade feminina por câncer. Mesmo assim, embora bastante incidente, o câncer de mama tem cura e o principal fator para isso se chama diagnóstico precoce. “Quanto mais cedo diagnosticado o tumor, maiores as chances de preservação da mama e, com isso a estética feminina e, em muitos casos, quando a lesão é em in situ, não é necessário quimioterapia”, afirma o mastologista.
A palestra será conduzida por uma equipe multiprofissional, com atuação, de psicólogos, fisioterapeutas e médicos. “Vamos atuar desmitificando a doença, com uma atividade de mitos e verdades para esclarecer as dúvidas dos participantes”, esclarece Fernanda Martis, fisioterapeuta. “A nossa intenção é interagir com o público para a gente saber até que ponto ele tem conhecimento sobre a doença”, afirma a fisioterapeuta Nayanna Moreira.
Além da palestra, haverá depoimento da psicopedagoga aposentada Fausta Soares da Silva, atuante campanha do Outubro Rosa, há 13 anos. Ela desenvolve trabalho na comunidade do Henrique Jorge na sensibilização sobre a importância do diagnóstico precoce, do autoexame e desenvolve trabalho com mulheres mastectomizadas.  Ao final do evento, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança  e Medicina do Trabalho (SESMT) entregará informativos aos participantes.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia, a mamografia deve ser feita dos 35 aos 40 anos e a partir daí, anualmente. Com mamografia, é possível identificar lesões que ainda não são palpáveis (nódulos, microcalcificações, assimetrias) e, com isso, conseguir antecipar em vários anos o diagnóstico.
Para 2018, são esperados para o Ceará 2.200 novos casos, dos quais, 1.410 em Fortaleza, conforme dados do o Instituto Nacional do Câncer (INCA). A prevenção primária pode ser feita evitando o consumo de álcool, a realização de atividade físicas regular, dieta variada rica em frutas, legumes, verduras e cereais, associada ao combate ao sedentarismo.
 
Acompanhe mais conteúdo sobre Medicina, Direito & Saúde em nossos canais digitais Facebook & InstagramBlog e App.

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend