fbpx

Incidência de Varizes em homens e mulheres

As varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, que caracterizam uma alteração funcional da circulação venosa do organismo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), somente no Brasil, cerca de 35% da população sofre com as varizes. Em estimativa, uma em cada cinco mulheres e um em cada 15 homens é portador desse problema vascular. Porém, por mais que a maior incidência da doença seja no sexo feminino, os homens também devem se preocupar e estarem atentos aos cuidados com a saúde vascular.

Nos homens, as varizes podem aparecer por volta dos 30 e 40 anos devido a fatores hereditários, mas a obesidade, fumo e sedentarismo também podem causar varizes. Nas mulheres, onde há a maior incidência, os fatores que levam a esse problema vascular são alterações hormonais, o uso de pílulas anticoncepcionais, gravidez e intestino preso, já que as mulheres têm maior predisposição a ter constipação intestinal devido ao ciclo menstrual, ao uso de anticoncepcionais e à maior retenção de líquido.

Quanto aos principais sintomas causados pelas varizes são eles dor, sensação de “queimação” ou cansaço e sensação de peso, ardência e inchaços nas pernas. Esses sintomas são mais frequentes principalmente ao redor do tornozelo e se agravam após um longo tempo em pé ou sentado. Nas mulheres essas sensações incomôdas também aumentam durante os períodos próximos ou durante a menstruação e durante a gravidez.

Existem muitas dicas simples, que se colocadas em prática e passarem a fazer parte da rotina, podem evitar esse problema vascular, manter uma boa alimentação com uma dieta rica em fibras, procurar não permanecer muito tempo em pé ou sentado, praticar exercícios físicos ou caminhadas, não fumar e consultar regularmente o angiologista.

O tratamento das varizes pode variar entre o tratamento cirúrgico e escleroterapia que é a injeção de uma solução esclerosante dentro destes vasos. As veias que são retiradas, por estarem doentes, levam a melhoria na drenagem venosa dos membros inferiores e alivia os sintomas causados pela doença, além de prevenir a sua evolução.

Já para os pacientes que não querem ou não podem realizam o tratamento cirúrgico ou a escleroterapia, pode ser empregado o tratamento clínico com medicamentos, elevação dos membros inferiores e com o uso de meia elástica.

 Fonte: Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular

 

Confira mais conteúdo no programa do Jornal do Médico®️ com o Saúde em Pauta

 

 

Assine a NewsLetter, receba conteúdos relevantes e a revista digital do Jornal do Médico. https://bit.ly/3araYaa

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend