fbpx

Cientistas revivem cérebros de porcos após 10 horas após a morte

Capa

Quando o cérebro de um mamífero fica 15 minutos sem receber oxigênio, as células cerebrais começam a ficar sem suprimentos. Algumas estouram, outras rompem, mas o resultado é sempre o mesmo: a morte do órgão.
A ideia da irreversibilidade desta situação era unânime entre médicos. Mas recentemente, um estudo feito por cientistas da universidade de Yale e publicado na revista Nature mostrou um feito inédito: Um cérebro de porco foi parcialmente revivido fora do corpo horas após a morte do animal.

À direita, vemos as células cerebrais preservada pelo sistema BrainEx, 10 horas após a morte. À esquerda, vemos um cérebro não tratado, 10 horas após a morte.

Os pesquisadores levaram 32 cérebros de porcos (que foram abatidos para alimentação) ao centro de pesquisa e após quatro horas os ligaram no sistema BrainEx e por seis horas alimentaram os cérebros mortos com oxigênio, nutrientes e outros químicos protetores. Ao fim do processo, foi notado que as células do órgão estavam realizando suas funções básicas: absorvendo oxigênio e exalando gás carbônico. Não foi notado a realização de sinapses, logo, o cérebro apresentava sinal de vida porém não apresentava consciência.
Os cientistas esperam que a descoberta ajude em pesquisas no campo da neurociência, com testes de novas drogas, além de aumentar a possibilidade de recuperação cérebros prejudicados por derrame ou outras lesões que causaram perda de determinadas funções cerebrais.

Fonte: Vox

Acompanhe mais conteúdo sobre Medicina, Direito & Saúde em nossos canais digitais Facebook & InstagramBlog e App.

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend