fbpx

Você sabe como é transmitida a caxumba?

Recentemente o atacante da seleção brasileira Richarlison foi afastado após ser diagnosticado com caxumba.Com o ocorrido todos os jogadores da seleção tiveram que se imunizar. mas afinal, você sabe como se contrai a caxumba?

A caxumba é causada por um vírus da família dos Paramyxovirus. Ela pode atingir qualquer tecido glandular e nervoso do corpo humano, mas geralmente afeta as glândulas que produzem a saliva e as próximas ao ouvido. Por causa disso, a doença é popularmente conhecida como Papeira.
A transmissão ocorre por via aérea, através da disseminação de gotículas, ou por contato direto com saliva de pessoas infectadas. De forma menos frequente, pode ocorrer pelo contato com objetos e utensílios contaminados com secreção do nariz e/ou boca.

A incidência é maior em crianças, mas também pode afetar adultos em qualquer idade. Por isso, a importância de manter a caderneta de vacinação sempre atualizada.
O aparecimento dos sintomas (período de incubação) pode acontecer entre 12 a 25 dias, sendo, em média, 16 a 18 dias. Já o período de transmissibilidade da doença varia entre 6 e 7 dias antes das manifestações clínicas, até 9 dias após o surgimento dos sintomas. O vírus da caxumba pode ser encontrado na urina até 14 dias após o início da doença.Seus primeiros sintomas são febre, calafrios, dores de cabeça, musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza. Inchaço e dor nas glândulas salivares, podendo ser em ambos os lados ou em apenas um deles.
É comum que a infecção em homens adultos provoque inflamação nos testículos (orquite) e nas mulheres, infecção do tecido mamário (mastite).Em um terço dos casos, a infecção não apresenta sintomas e adquire maior gravidade após a adolescência, sendo a meningite e a epidídimo orquite duas importantes manifestações e complicações da doença, mas que geralmente não deixam sequelas. 
Em menores de 5 anos de idade, são comuns sintomas das vias respiratórias e perda da audição. Outras complicações são encefalite e pancreatite. As gestantes devem ter atenção especial no primeiro semestre, pois a doença pode ocasionar aborto espontâneo.

Fonte: Ministério da Saúde

Para mais mais conteúdo sobre Medicina, Direito & Saúde em nossos canais digitais pelo App, Facebook, Instagram e Blog.

 

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend