fbpx

Ciência e Caridade (1897) de Pablo Picasso (1881 – 1973) Apreciação crítica de uma obra de arte

A pintura “Ciência e Caridade”, 1897, de Pablo Picasso, é um óleo sobre tela, 197 x 249 cm. Pertence ao Museu Picasso de Barcelona.

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno Maria de los Remedios Cipriano de la Santissima Trinidad Ruiz y Picasso nasceu em Málaga – Espanha (1881) e faleceu em Mougins -Alpes Marítimos – França (1973), onde viveu a maior parte de sua vida. Picasso, um dos mais importantes artista do século XX,  foi pintor, desenhista, escultor e gravador. Ele é considerado, ao lado de Georges Braque, o fundador do cubismo. Picasso deixou um legado monumental de quase 50.000 obras de arte: 1.885 pinturas, 1.228 esculturas, 2.880 cerâmicas, 7.089 desenhos, 342 tapeçarias, 150 cadernos e 30.000 gravuras.

A tela “Ciência e Caridade”, pintada quando Picasso tinha 16 anos, apresenta quatro personagens em um quarto. No centro, uma mulher acamada extremamente pálida e moribunda. Sentado, representando a ciência, um médico, em uma atitude ética e afetuosa, tomando-lhe o pulso e olhando para um relógio de bolso. Do lado oposto, representando a caridade, uma freira com uma criança nos braços tentado dirimir o sofrimento da paciente que, olha para filha com um olhar de angústia, prevendo a orfandade da criança. O pai e a irmã de Picasso, Lola, serviram de modelos para o médico e a paciente. “Ciência e Caridade” foi premiada na Exposição Provincial de Belas Artes de Málaga e ganhou menção honrosa na Exposição Nacional de Arte de Madrid. Atualmente, faz parte do acervo do museu Picasso de Barcelona, sendo a mais importante obra do referido museu. O título da tela “Ciência e Caridade” nos leva a refletir sobre a importância de se oferecer ao paciente, além do apoio científico o apoio emocional e espiritual.

 

Ana Margarida Furtado Arruda Rosemberg

Fortaleza, 1 de julho de 2020

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend