fbpx
hospitais de campanha e seu papel em época de pandemia

Hospitais de Campanha e seu papel em época de pandemia

Desde março, quando os primeiros casos da COVID-19 começaram a aparecer no Ceará, a cidade de Fortaleza chegou a ser considerada como o epicentro de contaminação da doença. Porém, após mais de 3 meses de enfrentamento contra o novo coronavírus, a capital do Ceará foi a primeira cidade do Estado a apresentar um número reduzido de internações pela COVID-19, resultando no esvaziamento dos leitos nos hospitais de campanha, que foram projetados e construídos no início da proliferação do vírus no Estado.

Segundo informações da ASCOM SMS de Fortaleza-CE, o hospital de campanha instalado no Estádio Presidente Vargas, foi construído em tempo recorde,em menos de um mês, tendo como perfil de atendimento os pacientes e suspeitos acometidos pela Covid-19 de baixa e média complexidade. O hospital teve parte dos leitos destinada a pacientes graves, de acordo com a demanda interna. Ou seja, aqueles pacientes que precisam de ventilação mecânica podem contar com o suporte adequado, já que 100% dos leitos da unidade possuem estrutura para gases medicinais. Desce do início, o hospital de Campanha PV já admitiu 1.140 pacientes (até 25.06), e desses, 920 já tiveram altas.

Com a queda da notificação de novos casos e com a redução do número de ocupação nos leitos, alguns dos hospitais de campanha em Fortaleza tiveram que passar por algumas mudanças, onde o Hospital de Campanha da Unimed Fortaleza foi desativado, já a unidade de campanha do Hospital do Coração de Messejana, passou a atender os pacientes com outras enfermidades. Os demais hospitais de campanha da capital, como no Estádio Presidente Vargas, e a estrutura do que foi montado no estacionamento do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), continuam em pleno funcionando para atendimento dos pacientes da COVID-19.

Porém, é importante frisar que, mesmo com a redução do número de internados, os cuidados e o combate à doença devem continuar sem descanso, pois a COVID-19 ainda existe e será necessário a ajuda e dedicação de todos para o fim definitivo da pandemia.

 

Fonte: diariodonordeste

 

Confira mais conteúdo no programa do Jornal do Médico®️ com o Saúde em Pauta

 

 

 

Assine a NewsLetter do Jornal do Médico®️ e receba conteúdos relevantes no seu E-mail

 

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend