fbpx
Apreciação Crítica da obra de Orazio Gentileschi (1562 - 1639)

Apreciação Crítica da obra de Orazio Gentileschi (1562 – 1639)

Apreciação Crítica da obra de Orazio Gentileschi

Descrição Técnica (fonte: Museu do Louvre-Paris)

Orazio GENTILESCHI (Pisa, 1562 – Londres, 1639)

O Repouso da Sagrada família durante a fuga para o Egito, 1628?

Em francês – Le Repos de la Sainte Famille pendant la fuite en Egypte 1628?

H.: 1,57m ;  L.: 2,25 m.

Coleção de Luís XIV (acervo em 1671)

Pinturas

Ala Denon

Asa 1º

Grande Galeria Salas 710,712,716

Museu do Louvre-Paris

 

Orazio Lomi, conhecido como Orazio Gentileschi, nasceu em 1562, em Pisa-Itália, e faleceu em 1639, em Londres-Inglaterra. Foi um importante pintor italiano do período barroco. Sofreu influência e interpretou com muito sucesso o estilo de Caravaggio. Era pai de Artemisia Gentileschi, considerada a mais importante pintora barroca. Em Roma, no início da década de 1580, com o pintor Agostino Tassi, pintou afrescos em diversas igrejas como: Santa Maria Maggiore, São Nicolau em Cárcere, Santa Maria dela Pace e na Basílica de São João de Latrão. Suas pinturas foram fortemente influenciadas por Caravaggio com o emprego do claro e escuro, gestos dramáticos e composição monumental.

Esta tela, “O Repouso da Sagrada família durante a fuga para o Egito”, retrata uma passagem bíblica na qual Maria, José e o Menino Jesus fogem de Israel para o Egito, em um burro, para escapar da fúria do Rei Herodes, que havia decidido matar todos os recém-nascidos. O quadro retrata o momento em que a Sagrada Família descansa, em segredo, já no Egito. Em primeiro plano a figura monumental de Maria se sobressai amamentando o menino Jesus. Em segundo plano vemos a figura de José deitado em um grande saco. No terceiro plano há uma parede com uma videira. No fundo, um céu com nuvens carregadas. Uma luz fria ilumina a cena como se uma pessoa tivesse acabado de abrir uma porta. O claro escuro, influência de Caravaggio, torna-se evidente. Segundo o site do Museu do Louvre-Paris, existem várias versões dessa tela. A que o Louvre alberga pode ter sido pintada na Inglaterra, em 1628, para o rei Carlos I, ou pode ser uma réplica da tela original, pintada por Orazio Lomi, por volta de 1637.

 

Ana Margarida Furtado Arruda Rosemberg

Fortaleza, 6/8/2020

 

dra. ana

 

 

Coluna Medicina, Cultura e Arte
Autora e Coordenadora: Dra. Ana Margarida Arruda Rosemberg, médica, historiadora, imortal da Academia Cearense de Medicina e conselheira do Jornal do Médico.

 

 

Assine a NewsLetter, receba conteúdos relevantes e a revista digital do Jornal do Médico com conteúdos exclusivos e assinados por especialistas. https://bit.ly/3araYaa

 

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Send this to a friend