fbpx

ARTIGO: Dislipidemia

Dislipidemia se refere às alterações nas concentrações plasmáticas dos lipídios, podendo se manifestar por aumento ou diminuição de colesterol e triglicerídios.

De acordo com a sua etiologia, ela pode ser classificadas como: primária, quando decorrente de alterações genéticas, ou secundárias, quando desencadeadas por outras doenças (obesidade, resistência à insulina, alterações hormonais), fatores ambientais (alimentação, principalmente) ou intervenções medicamentosas.

Diante de um paciente com dislipidemia, deve-se procurar estabelecer a época de seu diagnóstico, assim como pesquisar, nos familiares em primeiro grau, a também ocorrência dessa enfermidade, de diabetes melito e de doença arterial coronariana (DAC) prematura. Além disso, deve-se investigar, no paciente, o uso de medicamentos (diuréticos, betabloqueadores, esteroides anabólicos androgênicos, estrogênios orais , dentre outros) ou patologias que possam levar à dislipidemia secundária (hipotireoidismo, síndrome nefrótica, diabetes melito 
, obesidade, colestase, uremia, lipodistrofia, dentre outros).

O perfil lipídico é definido pelas determinações bioquímicas do colesterol total (CT), do colesterol ligado a HDL ou HDL- colesterol (HDL-c), do colesterol ligado a LDL ou LDL-colesterol (LDL-c) e dos triglicerídeos (TG).  Esta avaliação deve ser feita em todo indivíduo com DAC ou outras manifestações de doença aterosclerótica (cerebrovascular, carotídea e da aorta abdominal e/ou dos seus ramos terminais), independentemente de idade ou sexo. Já em adultos de uma forma geral, crianças e adolescentes, sem as condições supracitadas, estes exames e toda avaliação mais detalhada deve ser feita de forma individualizada, de acordo com seus fatores de riscos, doenças preexistentes, hábitos de vida e demais condições clinicas analisadas.

A hipertrigliceridemia atinge elevadas proporções nos dias de hoje, em decorrência da maior prevalência de diabetes melito, obesidade e outros componentes da síndrome metabólica , e aumenta o risco de desenvolvimento de pancreatite aguda.

Diante disso, o tratamento da hipertrigliceridemia visa à prevenção dessas complicações, e é baseado predominantemente em modificações no estilo de vida (MEV), que devem incluir dieta apropriada, associada a atividade física regular, redução de consumo de álcool e abandono do tabagismo. A meta deve ser uma redução de 5 a 10% do peso corporal nos indivíduos obesos, em especial naqueles com síndrome metabólica. É muito importante ressaltar ao paciente que os níveis de TG são mais suscetíveis do que outras variáveis lipídicas a aumento ou diminuição, a depender de dieta e atividade física.

No tratamento da hipertrigliceridemia isolada, são indicados com prioridade os fibratos e, em segundo lugar, o ácido nicotínico e os ácidos graxos ômega-3, podendo ser necessária a combinação de medicamentos. Na hiperlipidemia mista, os níveis de TG deverão orientar o modo como o tratamento farmacológico será instituído .

Em relação a hipercolesterolemia, esta é uma doença de alta prevalência mundialmente e está entre os principais fatores de risco para doença cardiovascular (DCV) aterosclerótica, a qual representa a principal causa de mortalidade global .

Todos os indivíduos com hipercolesterolemia devem receber orientação quanto à mudança de estilo de vida, que inclui dieta com baixo teor de colesterol e gorduras saturadas, atividade física regular, redução do peso corporal, cessação do tabagismo, controle dos outros fatores de risco, como pressão arterial (PA), glicemia e TG, bem como o uso de hipolipemiantes, quando necessário .

As estatinas constituem primeira opção e a principal classe terapêutica para tratamento da hipercolesterolemia e redução de risco CV. A ezetimiba encontra-se como segunda opção na intolerância às estatinas ou terapia adjuvante. Outras classes disponíveis com efeito redutor de colesterol são as resinas sequestrantes de ácidos biliares e o ácido nicotínico.

 

Sobre o autor:

Dr. Erle Azevedo é graduado em Medicina pelo Centro Universitário de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí. Fes residência em Clínica Médica promovido pela Universidade Federal do Ceará e; Residência de Endocrinologia e Metabologia pela Universidade Federal de Campina Grande. Dr. Erle também é pós graduado em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia e atualmente atende no serviço particular e conveniado na Sandro Ponte Clínica, em Sobral-CE.

Realiza também atendimentos no sistema público da cidade de Sobral, na Santa Casa de Misericórdia e Policlínica Bernardo Félix da Silva, além de prestar assistência em alguns municípios na região Norte do Estado do Ceará, na especialidade de Endocrinologia.

Redes sociais: @drerleazevedo

 

Confira mais conteúdo no programa do Jornal do Médico®️ com o Saúde em Pauta

Assine a NewsLetter, receba conteúdos relevantes e a revista digital do Jornal do Médico. https://bit.ly/3araYaa

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend