fbpx

Pele, amor, saúde

Se você parar por um tempo ( maior que o de costume de nosso dia a dia cada vez mais corrido e instantâneo) para observar os detalhes dessa foto vai conseguir enxergar muito além.
Foto: Ju2Pontes
Você vai ver um casal que se ama a ponto de dar a vida um pelo outro.
Você vai ver que cada ruguinha dessas peles já tão marcadas contam uma longa e linda história. O corpo idoso já é fisicamente frágil, ressecado pelos obstáculos e calos da vida, mas o olhar, que revela a alma de todo ser… Ah… Esse olhar se tornou ainda mais forte e cheio de luz a cada ano!
Enquanto a matéria, a casca externa, pele, epiderme e tudo que entra em contato com o ambiente, cria manchas, falhas e linhas profundas… O amor se conserva, sustenta, prossegue e se transfigura!
 Seu Osmundo Segundo e Cândida Lins Almeida são exemplos desse amor que vai além das marcas do tempo. Ele com 102 anos e ela com 94 sempre nutrem  os bons sentimentos.
 O casal de aposentados de Jaguaretama, no sertão cearense, com todas as suas rugas provam o quanto o viver pode ser belo. Cada ruga, um momento de alegria, uma tristeza superada juntos, uma oração, um olhar que fala mais que as palavras…
Os dois apaixonados do nosso sertão fazem parte dos 28 milhões de idosos do Brasil segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE. Uma população que de acordo com os dados do Instituto deve dobrar nas próximas décadas.
E como essas vidas estão sendo tratadas? O desejo dos especialistas, dermatologistas é que as marcas da vida sejam valorizadas e também cuidadas com respeito e carinho assim como são as do nosso casal. A pele do idoso precisa de atenção especial.
Com o tempo a derme perde elasticidade e corre mais riscos de infecções. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, SBD, os problemas de pele mais comuns entre os idosos são câncer, do tipo melanoma, mais agressivo e raro e do tipo não melanoma, as micoses, espessamentos, manchas, alergias e psoríase.
Ainda segundo a Sociedade de Dermatologia, a mais importante  prevenção é o uso do protetor solar. A SBD recomenda para os idosos o protetor com FPS de no mínimo 30 e o autoexame na pele com a ajuda de familiares. Mesmo assim é preciso visitar o dermatologista todos os anos para verificar alguma alteração cutânea.
Outra observação relevante é que muitos idosos apresentam lesões na pele com cor avermelhada e coceira. Essas lesões precisam ser avaliadas,  alguns casos podem ser lesões pré-malignas e devem ser tratadas ou até mesmo removidas.
 É necessário ainda manter a pele sempre hidratada, evitar esfoliantes, esponjas e banhos quentes. O ideal, de acordo com os dermatologistas, é tomar banhos mais rápidos, com água em temperatura natural e passar o hidratante logo após o banho.
 A alimentação balanceada também faz toda a diferença na manutenção dessa pele madura. E, claro, permanecer com esse olhar repleto de ternura como o de seu Osmundo Segundo e Cândida Lins. Afinal, os estudos cientificos comprovam que o amor, o zelo pelo próximo, o carinho melhoram a imunidade e a saúde em geral!
Não se trata de apagar rugas,
O que vale é valorizar cada história;
Cada ano vivido;
Cada momento de carinho;
Cada conta do rosário;
Cada cheiro e cada gesto.
Cuidados que preservam o verdadeiro amor.
Texto escrito pela jornalista Clarissa Capistrano com base nos conhecimentos da dermatologista Lia Albuquerque
Clarissa Capistrano
Dra. Lia Albuquerque
Assine a NewsLetter, receba conteúdos relevantes e a revista digital do Jornal do Médico. https://bit.ly/3araYaa

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend