fbpx

A máscara dupla adequada aumenta a proteção COVID, afirma o CDC

Usar uma máscara cirúrgica justa ou usar as máscaras em dobro, pode reduzir significativamente a transmissão de COVID-19, e retardar a disseminação de novas cepas mais contagiosas, de acordo com um relatório do Center for Control Diseases and Prevention (CDC), divulgado na quarta-feira, 10/02/2021.

Os pesquisadores descobriram que se duas pessoas estiverem usando duas máscaras cirúrgicas atadas com nós rente ao rosto, ou se ambas estiverem usando uma máscara de pano sobre uma máscara cirúrgica, a exposição a partículas virais é reduzida em mais de 95%. “Os dados deste relatório ressaltam a descoberta de que um bom ajuste, pode aumentar a eficiência geral da máscara”, escreveram os autores. “Várias maneiras simples de melhorar o ajuste demonstraram ser eficazes.”

Um “experimento de respiração simulada”, mostra que máscaras cirúrgicas bloqueiam 42% das partículas de COVID-19 para o usuário, e máscaras de tecido bloqueiam cerca de 44% das partículas. Usar máscara de pano sobre máscara cirúrgica, aumenta a proteção da pessoa que usa a máscara, bloqueando 83% das pequenas partículas.

Enquanto outros estudos recentes analisaram “adaptadores de máscara”, uma faixa que passa sobre uma máscara para mantê-la confortável no rosto, e descobriram que eles melhoraram o desempenho, o CDC disse acreditar que o melhor ajuste, vem de usar uma máscara cirúrgica coberta por uma máscara de pano.

As mortes de COVID nos EUA aumentaram em novembro e, embora estejam em declínio, ainda são altas. As autoridades alertaram que a variante com base no Reino Unido, pode se tornar a cepa dominante nos EUA em março. Essas descobertas surgem entre as crescentes preocupações sobre três novas variantes altamente contagiosas do COVID-19, identificadas pela primeira vez no Reino Unido, África do Sul e Brasil. Todos as três já atravessaram as fronteiras dos EUA.

Em relação às novas variantes do coronavírus, a diretora do CDC, Dra. Rochelle Walensky, disse a repórteres em uma reunião na Casa Branca, que a agência atualmente estima que cerca de 1% a 4% dos casos de COVID nos EUA, foram causados ​​pela variante do Reino Unido, também conhecida como B117.

No estudo da máscara, Walensky disse que a ciência já demonstrou ser claro, que o uso da máscara pode diminuir infecções e mortes por COVID-19. Mas, disse ela, a nova pesquisa do CDC, “ressalta a importância de usar uma máscara corretamente, e garantir que ela se ajuste bem justa e confortavelmente sobre o nariz e a boca”. Walensky disse que qualquer tipo de máscara oferece alguma proteção, “e máscaras bem ajustadas, fornecem o melhor desempenho, tanto no bloqueio dos aerossóis emitidos, quanto na exposição dos aerossóis ao receptor”.

Embora pouco se soubesse sobre a proteção da máscara no início da pandemia, pesquisas crescentes fornecem evidências claras de que elas funcionam bem. Um artigo de junho na revista Physics of Fluids, explicou que uma tosse pode fazer com que as gotas se propaguem a 3,6 metros em cerca de 50 segundos. Com uma máscara de algodão feita em casa de forma adequada, composta por várias camadas, essas gotas só viajaram cerca de 6,5 centímetros.

Um estudo de abril na Nature Medicine, descobriu que as máscaras cirúrgicas reduziram drasticamente a transmissão de gotas de resfriado e gripe. Um artigo de janeiro no The Lancet Digital Health, afirma que um aumento no uso de máscaras em uma comunidade, mais do que triplicaria sua probabilidade de controlar a disseminação do COVID-19. Finalmente, um estudo do CDC divulgado este mês, descobriu que, de 22 de março a 17 de outubro de 2020, 10 localidades de estados americanos com mandatos para uso obrigatório de máscaras, relataram um declínio nas taxas de crescimento de hospitalização da COVID-19 em até 5,5 pontos percentuais. Atualmente, existem mais de 40 territórios com mandatos de máscara.

 

Para garantir o uso adequado da máscara, as recomendações do CDC incluem:

Escolher uma máscara com duas ou mais camadas de tecido lavável e respirável.

Colocar a máscara sobre o nariz e a boca e prendê-la sob o queixo.

Amarrar as alças de orelha de uma máscara cirúrgica, onde elas se prendem à máscara e, em seguida, prender e achatar o material extra perto do rosto (máscaras com nós e dobradas).

Ajustar a máscara confortavelmente nas laterais do rosto e enfiar as alças nas orelhas ou amarrar os cordões atrás da cabeça.

Se você tiver que ajustar continuamente sua máscara, é porque ela não se ajusta corretamente, e você pode precisar encontrar um tipo ou marca de máscara diferente.

Manter uma máscara sobressalente para substituir a que ficou molhada.

Armazenamento de máscaras reutilizáveis ​​úmidas em um saco plástico até que possam ser lavadas.

 

 

Referente ao artigo publicado em Medscape

 

Dylvardo Costa

 

 

Autor: 
Dr. Dylvardo Costa Lima
Pneumologista, CREMEC 3886 RQE 8927
E-mail: dylvardofilho@hotmail.com

 

 

 

Assine a nossa NewsLetter para receber conteúdos e a RD do Jornal do Médico https://bit.ly/3araYaa

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Send this to a friend