UFG desenvolve partícula capaz de capturar a cocaína no organismo

Uma pesquisa realizada na Universidade Federal de Goiás (UFG), desenvolveu uma partícula capaz de capturar a cocaína na corrente sanguínea. Sendo eficaz até em ingestão de quantidades letais da droga.
Quando a overdose acontece, a metabolização, ou seja, a eliminação da droga geralmente é feita pelo fígado. Nesta metabolização, as drogas são decompostas, resultando em outros compostos mais simples e menos tóxicos que estas. Quando a ingestão for maior que a velocidade da metabolização, vai ocorrendo um acúmulo de substâncias tóxicas, alcançando níveis capazes de provocar uma parada cardíaca ou respiratória, podendo levar a morte.
O trabalho foi desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da UFG pela pesquisadora Sarah Rodrigues Fernandes, sob orientação da professora Eliana Martins Lima. Elas explicam que os testes feitos em laboratório indicaram uma capacidade de captura da cocaína do organismo de cobaias de cerca de 70%, revertendo rapidamente os sintomas típicos de uma overdose, como a hipertensão arterial, que levaria à morte por insuficiência cardíaca. “A pressão arterial e os batimentos cardíacos começam a voltar ao normal cerca de dois minutos após a administração da nanopartícula que desenvolvemos”, detalha Sarah.
Para mais informações acesse o site Jornal UFG

Acompanhe mais conteúdo sobre Medicina, Direito & Saúde em nossos canais digitais Facebook & InstagramBlog e App.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


WhatsApp ENTRE EM CONTATO CONOSCO!

Send this to a friend