fbpx

Dia Nacional da Vacina BCG

Hoje 1° de julho é celebrado o dia da Vacina BCG.
A sigla do produto faz referência ao termo “Bacilo de Calmette e Guérin” que deriva dos nomes dos seus inventores Camille Guérin e Albert Calmette.
A dupla de cientistas franceses deram início ao invento em 1908 e finalizaram em 1921, 13 anos depois.
A descoberta se deu a partir de uma bactéria responsável por desencadear Mastite Tuberculosa Bovina, a
 Mycobacterium bovis.
A eficácia da BCG é enorme, principalmente se tratando em Tuberculose, onde a vacina garante cerca de 78% de proteção. E apesar da vacina ter sido criada com a finalidade de prevenir o contágio da Tuberculose, estudos comprovam que a vacina também é  eficaz em casos de Hanseníase.

Entre os principais sintomas da tuberculose estão:

  • Tosse por mais de duas semanas;
  • Produção de catarro;
  • Febre;
  • Sudorese;
  • Cansaço;
  • Dor no peito;
  • Falta de apetite;
  • Emagrecimento;
  • Escarro com sangue em casos mais graves.

Entre os principais sintomas da Hanseníase estão:

  • Manchas na pele de cor parda, esbranquiçadas ou eritematosas, às vezes pouco visíveis e com limites imprecisos;
  • Alteração da temperatura no local afetado pelas manchas;
  • Comprometimento dos nervos periféricos;
  • Dormência em algumas regiões do corpo causada pelo comprometimento da enervação.
  • Aparecimento de caroços ou inchaço nas partes mais frias do corpo, como orelhas, mãos e cotovelos;
  • A hanseníase pode causar alteração da musculatura esquelética, principalmente a das mãos, o que resulta nas chamadas “mãos de garra”;
  • Infiltrações na face que caracterizam a face leonina característica da forma virchowiana da doença.

O Jornal do médico já publicou uma matéria referente a importância da vacinação.

 A vacina BCG, é ofertada gratuitamente no SUS. Ela deve ser dada às crianças ao nascer nas maternidades, Em 2017 registrou 96,2% de cobertura vacinal em todo o país, acima do preconizado pelo Ministério da Saúde que é de, pelo menos, 90%. Em anos anteriores a taxa da cobertura vacinal ultrapassada os 100%, sendo: 2011 (107,94%); 2012 (105,7%); 2013 (107,42%); 2014 (107,28%); 2015 (105,08%); 2016 (95,55%) sendo uma das vacinas que mais obtiveram a  adesão.
Fonte: Ministério da Saúde  e  Brasil Escola

Para mais mais conteúdo sobre Medicina, Direito & Saúde em nossos canais digitais pelo App, Facebook, Instagram e Blog.

Share this post


WhatsApp chat
Send this to a friend